Começam aulas de mestrado para analistas e técnicos de TI dos Institutos Federais E-mail
Escrito por ASCOM   
Qua, 23 de Julho de 2014 10:49

Cerca de 45 estudantes de todas as regiões do Brasil se reuniram no Centro de Informática (CIn) da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) para a primeira aula da linha de pesquisa Redes de Computadores, que integra o programa de Mestrado Profissional da Instituição, nesta segunda (21). Em comum eles têm a profissão. Todos são analistas ou técnicos de Tecnologia da Informação da Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica. A iniciativa é fruto de uma parceria firmada entre a Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (Setec/MEC), UFPE e Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (CONIF), atendendo a uma demanda apresentada pela Comissão de Capacitação do FORTI.

Ao todo, 134 servidores de 30 instituições federais serão beneficiados. Em setembro, começam as aulas para os aprovados na linha de pesquisa Gestão de Tecnologia da Informação. As aulas para quem passou para a linha Sistema de Informação devem começar em janeiro. “O grande diferencial é que vamos aplicar nossas pesquisas no nosso ambiente de trabalho, contribuindo para o desenvolvimento dos Institutos Federais. Esse era um pré-requisito estabelecido no edital de seleção para os nossos projetos”, empolga-se o servidor Tárcio Luna, do Instituto Federal de Pernambuco (IFPE), durante a aula inaugural.

O analista de TI do Instituto Federal do Pará, Augusto Silva, também comemorou seu primeiro dia de aula. Ele é servidor do campus Conceição do Araguaia, localizado a 1.200 km da capital Belém, onde é oferecido um mestrado acadêmico na área de TI. “No Pará, não temos mestrado profissional nessa área. Seremos liberados uma semana por mês para virmos ao Recife assistir às aulas. As passagens e diárias serão custeadas pelo Institutos. Uma experiência que vai enriquecer nossa formação”,conta.

Além de contribuir com a formação dos servidores, o programa vai combater a rotatividade nos cargos, tornando os campi mais atrativos. “Com o mestrado, há um retorno financeiro que diminui a diferença em relação aos salários pagos pelo mercado. A Rede ganha, pois passa a dispor de uma equipe altamente qualificada e disposta a colaborar” pontuou a ex-coordenadora do Fórum de Gestores da Tecnologia da Informação, Edna Matos. Ela esclareceu que cada servidor assina um termo comprometendo-se a permanecer na instituição durante um período superior ao de realização do curso, após seu término. “A continuidade desse projeto depende do desempenho de vocês”, disse aos estudantes, incentivando-os a terem êxito no curso.

Willamys Gomes, técnico de TI, do Instituto Federal do Ceará sabe bem disso . Ele já teve a oportunidade de realizar um curso no Centro e conhece as dificuldades. “O nível é muito alto. Teremos que nos dedicar bastante”, contou. Qualidade ressaltada pelo diretor de Pós-Graduação da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (Propesq), o professor Ernani Carvalho. “O CIn é um Centro de referência, de vanguarda, que traz à tona setores inexplorados”, enalteceu.

A reitora do IFPE, Cláudia Sansil, comemorou a aprovação de sete de seus servidores aprovados no mestrado e destacou a contribuição da tecnologia para a educação. “A informática amplia o alcance dos nossos deveres pedagógicos e ajuda nossas instituições a cumprir suas missões, no âmbito da inclusão e do acesso à educação profissional. O CONIF dará apoio irrestrito a essa parceira”, comprometeu-se.

Fonte: ASCOM/IFPE

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>

Página 8 de 32
Desenvolvimento: DTIC / IFPA - Tecnologia usada: Joomla!.